Siga por e-mail

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Necessidade de silêncio


O despertador toca. O porteiro chama. O microondas apita. O elevador avisa que chegou. O celular toca. Alerta de mensagens. Buzinas. Motores. Interfone. O telefone chama outra vez. Um carro de som. O som do carro. Oi? Tudo bem? Você viu o Fantástico domingo? Messenger. O que estou ouvindo. Lembrete. Assobio. Clap clap clap. Fiu fiu. Splash. Blá blá blá. Unnnggh. Fonfon. Crac. Au au. Zooom. Ummmm. Pow!

Pausa para respirar.

O silêncio me faz falta. É só no silêncio que determinadas coisas podem ser ouvidas. Silêncio para não ferir. Para solidarizar, para sentir. Sossego para poder pensar direito.

Silêncio é calma para decidir, pausa para refletir, oportunidade de sentir.

Quantas coisas não são ditas no silêncio de um olhar? Piegas, mas é verdade.

Pode ser a melhor resposta para o absurdo ouvido ou uma insuportável contestação. Pode ser também sinal de sabedoria conseguir aplicá-lo bem e conscientemente.

Silêncio de verdade, na alma, dá medo. Abre espaço para tomada de consciência, para o autoconhecimento.

Dizem que Deus fala no silêncio, que sua voz só pode ser ouvida desta forma. S-I-L-E-N-C-I-A-N-D-O mente e coração para que ele possa agir visando a nossa felicidade.

Tanto barulho me faz mais sentido agora. Barulho e bastantes conversas inúteis para abafar a verdade íntima e o Deus interno de cada um. Barulho para no automático, se deixar levar.

É urgente o aprendizado de silenciar para que todo esse potencial de verdade interior possa produzir mais frutos.

Preciso de silêncio.


Francielle Felipe

Um comentário:

Nut. Juliana Tolêdo disse...

As pessoas têm medo de entrar em contato. Até no carro tem som, porque se pintar silêncio entre duas pessoas, a tensão aumenta, o desconforto aparece... Fica paracendo que é melhor não ouvir o outro respirar. Excelente postagem, minhas divas.