Siga por e-mail

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Um encontro mágico

Tem histórias que fazem a gente se inspirar...
Para Ângela.

A certa altura da vida, conclui que necessitava de novas emoções. De sentimentos arrebatadores que me tirassem do eixo, sentisse frio da barriga, que me trouxessem o bom humor e o frescor da imersão no desconhecido. Eu queria mesmo era um desses encontros mágicos.

Não sabia bem por onde começar, o que procurar. Talvez alguém, uma beleza surpreendente, um papo interessante. Ou um hobby, quem sabe.

Como tudo que é mágico, não está assim tão à vista. Parecia requerer iniciação, estudo de teorias e práticas que proporcionassem as faculdades de ver e sentir aquilo que nem todos podem.

Ao que tudo indicava, a magia estava na habilidade de trazer de dentro de mim capacidades nunca antes exploradas, ou da natureza. Para tanto, talvez fosse necessário observar a vida sob um aspecto mais elevado, cerimonioso.

Joguei-me nas leituras, cultivei uma curiosidade por tudo aquilo que era novo e aguçava minha mente desperta. Comecei também a caminhar, não a esmo. Atenta, observando a tudo e a todos. O olhar ficou mais aguçado, via beleza onde antes não conseguia enxergar. Meus olhos ficaram mágicos!

A beleza que passei a ver, me invadiu. O meu corpo bem cuidado, agora tinha uma pele cintilante, sorriso cativante e alegria exalando pelos poros.

Comecei a manipular o tempo. Eternizava os mais ínfimos instantes onde, gratamente, os armazenava em delicadas gavetas do meu coração.

Com os meus exercícios de magia, a audição ganhou proporções enormes. Agigantaram-se as possibilidades de compreensão daqueles que estavam ao meu redor. Ouvindo-os, lia suas almas. Até as mais pueris colocações me traziam algo.

Eu que já era toda mágica, vi que era magnética a minha fertilidade e capacidade de multiplicar. Sentia-me forte, poderosa. De tão encantada, esqueci-me do encontro.

Sei lá, já não parecia mais tão importante descobrir uma única coisa que fosse capaz de resgatar em mim algo que revirasse as minhas entranhas. Eram tantas as descobertas desde que aprendi magia! Não que eu me julgasse cheia de virtudes, apenas não estava mais paralisada de ansiedade frente à expectativa por um encontro.

Displicentemente caminhando por aí, esbarrei num desconhecido cavalheiro. Suas roupas não eram nada semelhantes às dos que caminhavam por aqui. Falava uma língua estranha. Acho que era de outro país.

Curiosa, decidi investigar. E não é que ele era mágico também? Braços de amansar desejos, boca de beijo, corpo de tocar, olhos de gato, sabor de hortelã, cheiro de príncipe.

Cochichei ao seu ouvido: “Mágico, ao seu lado parece até que o mundo pára”. E ele me respondeu: “Que nada, você que é mágica. Num surpreendente encontro, se tornou pra mim o mais belo dos presentes.”

“E hoje nos lembramos, sem nenhuma tristeza dos foras que a vida nos deu. Ela com certeza estava juntando você e eu.” (Minha Herança: Uma Flor - Vanessa da Mata)

Francielle Felipe

3 comentários:

angela disse...

Diva é bem por ai mesmo!!!Ai ai!!!
Obrigada!!
beijos

Ana Carolina Carvalho disse...

Amei o texto! Quantas mulheres não estão por aí a espera de um encontro mágico, que nunca chega? Belo conselho de Diva!
Beijos

Nut. Juliana Tolêdo disse...

Lindíssimo! Às vezes a beleza do caminho é maior que a do encontro..,